Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

  • Portugal

    Vila Nova de Milfontes: Um reencontro Alentejano

    De uma forma ou outra calham-me sempre empregos que me levam a viajar. Não me posso queixar! Desta vez fui novamente enviada para Lisboa para ajudar num evento e, como não podia deixar de ser, usei esta minha micro-viagem como uma desculpa para repor os níveis de vitamina D, enfardar todo o tipo de peixe e rever amigos. Viva a vida de emigrante! No caminho para ver uma dessas amigas, de quem já tinha muitas saudades, passámos por mar azul e verde, uma boa quantidade de rocha e aldeias pintadas a azul e branco. Não vivesse ela em Vila Nova de Milfontes. Companheira de muitas aventuras laborais – incluindo conhecer…

  • Escócia

    As mulheres audazes de Edimburgo

    Para comemorar os 200 artigos do blog vou escrever um post feminista! Pronto, já fugiram todos! Não se preocupem, prometo que também tem uma parte de viagem 😉 Quando estive em Lesvos, na Grécia, conheci a Sally. Escocesa, feminista e activista a Sally organiza, anualmente, o Festival das Mulheres Audazes em Edimburgo. Rapidamente nos tornámos amigas e ficou pendente o convite para ir ao festival em Fevereiro de 2019. Como seria espectável, acabei por ir; tudo o que seja cama grátis e uma desculpa para passear é um sim! Já tinha ido a Edimburgo com os meus pais há uns anos e adorei. Acho que é daquelas cidades mesmo perfeitas…

  • Tanzânia

    Os Maasai de Longido: Uma viagem no tempo

    Mal começámos a planear a nossa viagem à Tanzânia e a desenhar o nosso itinerário, pedi logo à nossa agência se podíamos incluir no plano uma visita a uma tribo Maasai. A ideia de tribo sempre me fascinou. Povos que, num mundo completamente globalizado e digitalizado, renunciam a qualquer tipo de tecnologia (excepto telemóveis :p) e vivem exactamente da mesma forma que os seus antepassados. É claro que este estilo de vida se está a extinguir rapidamente e essa é a principal razão da minha fome de aprender mais sobre as tribos do nosso mundo. Contudo, no primeiro dia de viagem, começámos a ver Maasai em todo o lado. Fiquei…

  • Tanzânia

    Stone Town: um poço de história, cultura e portas

    Uma viagem a Zanzibar nunca ficaria completa sem um passeio pela icónica cidade de Stone Town. É um lugar com um passado cultural tão rico que dava para uma aula de história de duas horas! Não querendo maçar, aqui fica um resumo rápido dos eventos mais relevantes da história de Zanzibar: – Em 1498 os portugueses tornaram-se nos primeiros europeus a chegar a Zanzibar (claro) – Durante quase 2 séculos a ilha esteve sobre o domínio de Portugal e foram os portugueses que começaram a construir a primeira estrutura em pedra: o Old Fort – Em 1698 veio o Sultão do Omã e apoderou-se da coisa – Em 1840 Stone…

  • Tanzânia

    Zanzibar: o paraíso do dolce fare niente

    Passados cinco dias a levar com pó e a andar num jipe que muitas vezes se assemelhava a uma centrifugadora, estávamos com vontade de pouco ou nada fazer nos dias seguintes. Vai daí, apanhámos um micro avião de Arusha e voamos em direcção à ilha de Zanzibar. Co-piloto e o caso da mala fugidia Chegados ao “aeroporto” de Arusha, reparámos que aquele não era um aeroporto típico. O check-in, feito numa bancada de madeira, não tinha qualquer computorização. Havia uma lista de passageiros impressa, qual chamada feita na escola, e os bilhetes eram escritos à mão. A balança para pesar as malas parecia saída do Mercado de Alvalade e a…

  • Call for Inspiration

    [EN] Cycling Cape 2 Cape: The beginning of Africa and loads of desert

    We have reached the point where two Swiss guys are more tanned than me. It’s sad, but it’s true. Anyway, there are more important things to talk about! Adi and Fabian have spent their Christmas and New Year’s in some very deserted lands and they are now close to have completed half of their kilometres goal (32 000). The past months have been a cycling version of “Paris – Dakar”, as they have crossed Morocco, Western Sahara, Mauritania, and Senegal and are now taking a break in Cape Verde (wish I could join!). By what I saw on social media, cycling Africa really seems like a whole other level of…

  • Tanzânia

    Cratera de Ngorongoro e o ciclo da vida

    Ngorongoro é um Serengeti em esteróides. Ao olhar para a cratera esquecem-se quaisquer noções de tempo e espaço. Há 2.5 milhões de anos o cone de um vulcão colapsou após uma erupção gigante e deixou a caldeira impressionante que podemos ver hoje. Mas para além da paisagem espectacular que apaparica os olhos de qualquer um, a maioria dos turistas viaja meio mundo para ver a quantidade de animais absolutamente anormal que está concentrada neste pequeno pedaço de terra. Durante as quatro horas que percorremos a Cratera de Ngorongoro, tivemos vários momentos que nos deixaram de queixo caído. Parecia que havia uns pozinhos mágicos no ar que meteram todos os animais…

  • Tanzânia

    Lago Manyara & Arusha: Karibu, this is Africa

    África começa assim que pões o pé fora do Avião. As longas e demoradas filas para o visto indicam uma noção de tempo diferente. Polay polay em swahili, ou devagar devagar em português, é lei. 50 dólares e um senhor dos serviços fronteiriços que falava português depois, estávamos oficialmente prontos para começar a nossa aventura. Desta vez “nós” sou eu e os meus tios, que me encantam com histórias de safaris em África desde que sou pequenina. Com tantas evocações de cenários dignos de um documentário do National Geographic, mal podia esperar para que chegasse a minha vez. E tinha logo que começar em grande: na Tanzânia.  Observações da minha…

  • Inglaterra

    Yorkshire e um vislumbre do Peak District

    Como prova de que me conhece de ginjeira, o meu namorado decidiu contemplar-me com uma “viagem” como prenda de Natal. Decidiu levar-me durante um fim-de-semana até York, uma cidade no Norte de Inglaterra famosa pelos seus afternoon teas, chocolates e centro histórico medieval. Depois de umas férias de Natal muito activas em Portugal, onde as horas de sono foram inferiores às horas à mesa e de um dia 28 a trabalhar, cheguei a York completamente morta, mas entusiasmada por ir explorar mais um pedacinho deste país. A chalupa do Airbnb Não temos tido muita sorte com os nossos hosts em Inglaterra. Em Liverpool eram fantasmas italianos e agora em York…