• Inglaterra

    Londres desfolhada

    Há duas coisas que me fazem muito feliz: ver o mar e andar durante horas por cidades. Como a primeira é mais difícil de fazer acontecer quando se vive no meio de Inglaterra, tenho que me satisfazer com a segunda que também não está nada mal. No Outono os parques e ruas de Londres arranjam-se a preceito para a nova estação e os amarelos, laranjas e vermelhos começam a aparecer tanto nas árvores como no chão. Como qualquer desculpa é boa para ir a Londres, desta vez foi descobrir os melhores lugares para fotografar o Outono na cidade que nos levou lá. 22 quilómetros, duas pizzas e um gelado/éclair depois,…

  • Inglaterra

    Manchester, o Peak District e um desvio

    No fim de semana que fui ao Peak District era para ter ido a Milão, mas a pandemia decidiu obrigar-me a cancelar pela segunda vez uma viagem. Determinada a não ficar em casa mais um fim de semana e verificando que a previsão meteorológica prometia sol, em poucos minutos pus-me a congeminar um plano que incluía uma visita a Manchester e ao Peak District para uma longa caminhada. As viagens de comboio no Reino Unido podem ser inimigas da conta bancária, mas ao menos ligam cidades a uma velocidade estonteante. Do lugar onde vivo (Milton Keynes) até Manchester são 250 quilómetros que se fazem em menos de duas horas de…

  • Portugal

    Peneda e Gerês por entre os pingos da chuva

    Em 2020 a sensação de Verão no Instagram foi o Gerês. Com restrições às viagens internacionais, milhares (milhões?!) de portugueses rumaram ao norte do país para descobrir este oásis de cascatas, águas verdes e azuis, miradouros e aldeias perdidas no tempo.Inspirada pela enchente de fotografias e lugares magníficos que inundaram o meu feed, também eu me juntei à festa e segui para Norte com os meus pais no fim de Setembro depois de já termos picado o ponto no Algarve e Centro do país. Para passar a pente fino o mais belo Parque Nacional português são necessárias semanas, mas como só tínhamos três dias tentámos ver a maior quantidade de…

  • Portugal

    O Centro de Portugal e as origens esquecidas

    Desde que me lembro que ouço falar na “Rapada”. A Rapada é uma aldeia no coração geográfico de Portugal que fez parte da vida da minha família do lado materno durante muitos anos. Rebaptizada de Santo António do Alva, um nome que não faz juz a nada, esta aldeia faz parte do meu imaginário por ser um dos principais cenários das histórias que os meus pais e tios contam à mesa de jantar. Por ser num local tão isolado e pela mítica casa da Rapada agora ser mais a ruína da Rapada, já lá iam mais de vinte anos desde que visitei as minhas origens beirenses. Como 2020 me levou…

  • Costa Vicentina: No Trilho dos Pescadores Gourmet
    Portugal

    Costa Vicentina: No Trilho dos Pescadores Gourmet

    Falésias retalhadas, praias até perder de vista, muitas delas intocadas, um mar gelado de mil e uma cores. A Costa Vicentina é como os ingleses dizem “stuff dreams are made of” e é por isso que não me canso de lá voltar. Na terceira viagem do ano a Portugal rumei ao sul do país com os meus progenitores, revivendo uma tradição que se tinha vindo a tornar cada vez mais rara nos últimos anos, para três dias passados a visitar algumas das nossas paisagens favoritas e a descobrir novas. Foi um misto de caminhadas, trabalho de bronze e o último banho de mar do meu ano. Em menos de nada…

  • Caminhada Seven Sisters Inglaterra
    Inglaterra

    Seven Sisters e um escaldão inglês

    Durante algum tempo pensei que a caminhada das Seven Sisters estava amaldiçoada. O simples plano de apanhar um par de comboios para o sul do país e andar umas horas a pé foi constantemente adiado desde Fevereiro e só agora – estamos em Setembro – é que se cumpriu. Como o Reino Unido não é um país com grande densidade populacional de caminhantes, rumei à costa sul de Inglaterra sozinha para algumas horas de contemplação e trabalho de pernas. Apanhando um comboio de London Victoria são no máximo duas horas até Seaford por uma paisagem que rapidamente se transfigura de uma metrópole de milhões para quilómetros e quilómetros de colinas…

  • Suíça

    Pizol: Cinco (+) lagos, termas finas e estar offline

    Algures a meio de Fevereiro chegou o convite: “No Verão devíamos fazer uma caminhada nas montanhas Suíças”. A proposta vinha do meu amigo Adi que na altura se encontrava na etapa final da sua viagem de dois anos de bicicleta da Noruega à África do Sul. Sabíamos lá nós que a epidemia na China se tornaria numa pandemia mundial e que os quilómetros finais da viagem dele ficariam em águas de bacalhau e que os meus planos originais de viagem seriam todos cancelados. Com os destinos de viagem ultra limitados devido à imposição de quarentena no regresso por parte de Inglaterra, voltar à Suíça parecia-me a opção mais apetecível. Com…

  • Cycling Cape2Cape

    [EN]Cycling Cape 2 Cape: Angola, a rushed Namibia and an unexpected pandemic

    Capetown was finally starting to feel within arm’s (or in the case leg’s) reach. Adi and Fabian had only 4000 out of 35000 kilometres left to cycle and after almost two years on the road there was nothing that could stop them from reaching their goal. Except a global pandemic. With close to no notice, the unscheduled life of wilderness was over, and the everlasting African plains were suddenly substituted by the green mountains of Switzerland. Covid definitely knows how to ruin a party.Their last months of travel were spent in both Angola and Namibia and that’s what we will mostly talk about today. After all, the world is still…

  • França

    Paris devolvida aos Parisienses

    Restrições e quarentenas levantadas, estava na altura de voltar a viver e não há melhor lugar para o fazer do que Paris. Acho que posso admitir que estou, desde sempre, viciada nesta cidade que não me canso de repetir. Desta vez decidi fazer uma visita despida de quaisquer pretensões turísticas; uma visita para rever amigos e a cidade a que já chamei de casa. O que encontrei foi uma cidade a despertar do coma induzido que foram os últimos meses. Contudo os Parisienses sabem aproveitar a vida como ninguém e os parques e esplanadas enchiam-se de amigos e famílias à procura de reencontrar alguma normalidade.   Pela primeira vez desde…

  • Portugal

    O Algarve das águas verdes, grutas e praias escondidas

    Os últimos quatro meses foram uma espécie de viagem sedentária. Algumas noites mal dormidas, cozinhar com o que há na prateleira mais recôndita da dispensa e, um sentimento de estranheza cada vez que se põe um pé na rua, que de um dia para o outro se tornou num lugar estrangeiro. Uma viagem que não faríamos nem pagos caso tivéssemos tido escolha, mas já que não tivemos, mais vale sairmos dela um pouco mais sábios (dado que mais pobres é quase certo). Agora que se começaram a desbloquear algumas das liberdades garantidas no passado, estava na altura de aproveitar esta estreita janela de oportunidade para escapar ao segundo inverno inglês…