Islândia

Uma semana de Verão na Islândia: itinerário e informações úteis

Nos últimos anos a Islândia explodiu em todo o lado. Literalmente, com o vulcão Eyjafjallajökull em 2010, que lançou o caos na Europa e a Islândia para as bocas do mundo e depois com o Game of Thrones na televisão, na internet com os blogs de viagem e, por fim, no Instagram com os “influencers”. É fácil perceber o porquê do sucesso da Islândia: na Europa já não se encontra esta natureza bruta, especialmente concentrada em tão poucos quilómetros quadrados.

Com tanta maravilha junta, a única coisa que pode dissuadir alguém de visitar a Islândia são mesmo os preços. Não há muito a fazer senão começar um porquinho mealheiro chamado “Islândia” e mentalizarmo-nos que vêm aí dias de dieta forçada. Mas vai ser a dieta mais recompensadora de sempre!

Se a Islândia também consta da tua lista, aqui vão as minhas dicas e roteiro para uma semana:

Voos: Com a falência da WOW Air as opções de voos low-cost para a Islândia ficaram bastante mais reduzidas. Do Reino Unido os voos mais em conta são pela WizzAir. A partir de Portugal, a WizzAir também é uma das melhores opções com escala em Luton.

Transporte para o centro Reykjavik: Aterrar na Islândia é aterrar no meio de um campo de lava sem nada à volta. Existem duas opções de transportes públicos até ao centro

  1. O Flybus que vai até ao centro e depois distribui as pessoas pelos hotéis. Preço ida e volta: 50€. Há entre um a dois autocarros por hora, têm wi-fi e demoram cerca de 45 minutos a chegar ao centro. https://www.re.is/tour/flybus/
  2. Autocarro 55: É muito mais barato (6€) mas tem horários mais reduzidos e não vai até ao centro aos fins-de-semana, terias que apanhar outro autocarro. Mesmo assim é uma boa solução económica. Horários neste site: https://straeto.is/en ou no Google Maps.

Deslocações na ilha: Não há dúvida que a melhor forma de ver a Islândia é de carro ou autocaravana. Para além da falta de transportes públicos, a Islândia tem aquele factor irritante de ser tão bonita que é preciso parar de 5 em 5 minutos para tirar fotografias. Se não tiveres a possibilidade de alugar o teu próprio transporte, existem imensas agências que organizam tours de um dia ou mais. No verão também há muita gente a andar à boleia.

Aluguer de carro: Nós alugámos o carro com a Geysir Car Rental e correu tudo bem. O melhor é alugar um carro tipo jipe, o mais popular sendo o Dacia Duster, porque muitas estradas são de gravilha. Como fomos quase no Verão não tivemos problemas nenhum com o tempo volátil da Islândia, mas ao alugar o carro a agência dá sempre um briefing de precauções a tomar porque ventos fortes e nevões inesperados são pratos da casa.

Alojamento: As autocaravanas são super populares na Islândia porque são um dois em um e permitem poupar imenso dinheiro já que o alojamento é um dos maiores rombos no orçamento. O hostel mais barato perto de Reykjavik é o Vibrant Iceland hostel (recomendo).

Durante a viagem, estes foram os lugares onde ficámos:

– B2 Apartments, Reykjavik
– Airbnb em Búðardalur
– Golden Circle Apartments
– Hellishólar Cottages
– Hörgsland Cottages

Recomendação particular para os B2 Apartments e Golden Circle Apartments.

Condições das estradas: Apesar da estrada 1, a principal estrada na Islândia, estar em boas condições, muitas estradas ainda são de gravilha e outras não estão sequer abertas durante os meses de inverno. http://www.road.is/ é o site onde podes consultar, em tempo real, a situação nas estradas na Islândia.

Estações e Tempo: Com as quatro estações muito marcadas, um inverno na Islândia nunca passou, nem de perto nem de longe, pelos meus pensamentos. No verão os preços até podem aumentar, mas os dias são mais longos e as probabilidades de sol também são maiores. Nós devemos ter apanhado uma semana record de sol, fim de Maio – inicio de Junho, porque nunca apanhámos mau tempo. Setembro e Março é a melhor altura para ver auroras.

Moeda e Dinheiro: É possível pagar com cartão em todo o lado. 1€ = 137.32 Icelandic Króna, Agosto 2019.

Supermercados e refeições: Uma boa estratégia para poupar algum dinheiro na Islândia é levar uma mala com comida! Massa, arroz, enlatados… e comprar lá só os frescos. Nunca experimentámos sequer entrar em restaurantes. O supermercado Kronan tem uma boa padaria/pastelaria que nos safou algumas refeições.

Álcool: A venda de álcool é proibida nos supermercados por isso, se quiseres comprar tens que encontrar uma Vínbúðin, uma “off-licence” que existe nas maiores localidades do país.  

O que levar: No Verão posso recomendar levar uma máscara para os olhos porque os cortinados nunca funcionam a cem porcento. Para além disso, roupa e calçado impermeável caso pretendas explorar as cascatas mais a fundo.

Budget: Alimentação + Gasolina + Estacionamento para três pessoas durante uma semana = 500€

Itinerário de uma semana:

Dia 1: Reykjavík e arredores
Dia 2:
A Península de Snaefellsnes
Dia 3:
Uma voltinha pelo Norte
Dia 4:
Golden Circle
Dia 5, 6 e 7:
Sul e glaciares

Guarda este mapa com alguns dos melhores lugares para visitar na Islândia:

Boa viagem!

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: