• Uzbequistão

    Samarkand e a visita do presidente

    Se achas que o Marcelo é popular, é porque nunca viste o presidente do Uzbequistão, aquilo sim é pompa e circunstância. Conseguimos chegar a Samarkand durante os ensaios para o festival de música e dança mais importante do ano, o Sharq Taronalari e quando há visita do presidente à mistura estes meninos não brincam em serviço: o Registan estava oficialmente fechado e nem as centenas de turistas desapontados e com cara de cãezinhos abandonados à porta os fizeram abrir uma excepção. O Registan é só o monumento mas importante do Uzbequistão e nós conseguimos acertar nos únicos dias do ano em que não estava aberto. Ainda fizemos três tentativas de…

  • Uzbequistão

    Bukhara: nós vs. o pôr-do-sol

    De todas as cidades que tínhamos escolhido visitar no Uzbequistão, Bukhara era aquela onde íamos passar menos tempo; os horários dos comboios assim o ditaram. Contudo, mesmo sabendo que ia ser uma correria, não podíamos deixar a cidade mais sagrada da Ásia Central para trás. Às três da tarde chegámos à estação de comboio de Bukhara para mais uma recepção calorosa por parte de 20 taxistas, que desta vez desapontámos por já termos marcado transporte com a guesthouse. A contagem decrescente das cinco horas de sol que nos restavam tinha oficialmente começado. Por muito que quiséssemos começar a correr quilómetros os nossos estômagos arrastaram-nos para a tasca recomendada pelo dono…

  • Uzbequistão

    Khiva: no epicentro da rota da seda

    O frio e o vento que se faziam sentir no Quirguistão empurraram-nos para o seu vizinho mais quentinho: o Uzbequistão. Esta decisão de última hora obrigou-me a preparar nalgumas horas um itinerário de cinco dias num país sobre o qual pouco (ou nada) sabia. Valha-nos os blogues de viagens e o santo Google Maps e em menos de nada tínhamos escolhido as quatro cidades que queríamos visitar. Estava na altura de começar a marcar coisas! Íamos aterrar em Tashkent – possivelmente a capital com o melhor nome de sempre – e nessa noite ainda tínhamos que apanhar um comboio para o lado oposto do país, Urgench, de onde seguiríamos para…