florence tuscany
Featured,  Itália

Itália: o itinerário de um mês para uma viagem inesquecível

Poucos países conseguem rivalizar com Itália como destino turístico. Sinceramente, não há nada que este país não tenha e o melhor do meu ano passado a estudar em Milão foi, sem dúvida, poder explorar (quase) todos os cantos de Itália.

Ele é montanhas com caminhadas intensas mas compensadoras, praias com águas cristalinas de norte a sul, cidades onde nasceram civilizações e onde se formaram os melhores artistas do mundo e claro, algumas das invenções culinárias mais apetitosas de sempre.

Por isso, tentei compilar neste post um itinerário de 1 mês que inclui todos os sítios que me fizeram apaixonar por este país.

O NORTE: 10 DIAS

Milão e Como (2 dias)

Para muitos, Milão não é um destino particularmente apetecível, mas a cidade mais cosmopolita do país tem mais para oferecer do que o Duomo ou as Galerias Vittorio Emanuele. Alguns dos museus, igrejas e salas de espectáculos mais importantes da Europa estão aqui bem como os melhores outfits! Não podes perder a cultura do aperitivo nem deixar de provar o típico Aperol Spritz. O guia completo de Milão aqui.

A menos de uma hora de Milão fica o Lago di Como, famosos pelas suas mansões milionárias e paisagem “fiordesca”. A Villa Balbianello, onde foi filmado um dos 007, é um dos lugares que não podes perder, tal como Bellagio uma pequena vila pitoresca. Para um guia detalhado lê este post. Na cidade Como, aconselho-te a subir o Funicolare Como Brunate, a comer um gelado na Gelateria Cavour e a visitar a Villa Olmo que é grátis.

Dolomites (4 dias)

Provavelmente a zona mais surpreendente de Itália. Vales, montanhas e lagos de uma beleza estonteante que só esperaríamos de uma Suíça, Canadá ou Nova Zelândia. Em quatro dias podes ver Bolzano, Santa Maddalena e o Val di Funes, fazer as duas melhores caminhadas da região: Tre Cime di Lavaredo e Lago di Sorapis e ainda ver os Lagos di Caressa e di Braies. Dolomites em detalhe neste post.

Lago di Garda e Verona (2 dias)

Quando um lago parece o mar, vale certamente a pena ser visto. O Lago di Garda é o maior de Itália e ao seu redor há muito para ver. Um dos lugares mais icónicos é Sirmione, uma pequena península com um castelo rodeado de água, ruinas de uma villa romana do século 1 AC e a Jamaica Beach! Um dia no Lago neste post.

sirmione italia 1

Cidade dos eternos amantes, Romeo e Julieta, Verona é mais do que o cenário de um clássico da literatura. A sua arena, ainda utilizada para espectáculos, as suas infinitas praças e arquitectura Veneziana são irresistíveis. Um dia em Verona e uma história de amor neste post.

Veneza e Ilhas (2 dias)

Com ou sem Carnaval, Veneza merece uma visita. É daquelas cidades únicas, com uma atmosfera irreplicável. Para além das inconfundíveis Piazza San Marco, Ponte di Rialto e Ponte dei Sospiri, uma das maravilhas de Veneza é perderes-te nas suas ruas labirínticas e anónimas onde os turistas não passam.

E à distância de uma viagem de barco estão as ilhas de Murano e Burano que são uma alternativa brilhante às multidões que assolam Veneza. Cheias de cor e de vida valem certamente uma visita. Aqui está o post sobre o Carnaval de Veneza e outro sobre as ilhas.

O centro: 10 dias

Bolonha (1 dia)

Chamam-lhe a “gorda e vermelha” por causa da cor dos seus edifícios e das suas maravilhas gastronómicas. A capital da Emília Romana está cheia de presuntos, queijos, mortadela e claro ragu à bolonhesa. Mas esta cidade também tem muito para oferecer a nível cultural com Le due Torri: Garisenda e degli Asinelli, a torre mais inclinada de Itália. O guia completo de Bolonha aqui.

Cinque Terre (2 dias)

As Cinque Terre são um dos lugares mais desejados de Itália. Cenário de muitos pedidos de casamento e luas-de-mel estas cinco terras prometem algumas das fotografias mais bonitas que alguma vez vais tirar. Em dois dias visitámos Porto Venere, Corniglia, Manarola, Riomaggiore, Vernazza e Monterosso. O itinerário completo de dois dias neste post.

manarola 3 riomaggiore

Florença (2 dias)

A cidade da arte nunca desaponta. Para além de ter alguns dos museus e obras de arte mais importantes do mundo as suas ruas amarelas e laranjas, pontes centenárias e palácios dos Medici tornam-na no sinónimo de “tipicamente italiana”. Este foi o ano de a revisitar e o resultado foi este.

Toscânia (2 dias)

A bela Toscânia! Estradas ladeadas por ciprestes italianos, planícies sem fim, vilas e aldeias perdidas no tempo e até termas são alguns dos ingredientes que tornam esta região tão apetecível. Em dois dias percorremos Siena, Montalcino, Pienza, Montepulciano, San Gimignano e muitos, muitos quilómetros de vinhas. A nossa aventura debaixo do sol da Toscânia num panda vermelho aqui.

Roma (3 dias)

A minha cidade preferida em Itália! Apaixonou-me desde o primeiro instante: só o passeio pelo Fórum Romano e o Coliseu já valem a viagem. Mas Roma é ainda mais do que isso. Roma é o Panteão, a Piazza Navona, o Vaticano, a Fontana di Trevi e a escadarias da Piazza di Spagna. E a Giolitti, claro. É uma cidade que me dá sempre vontade de voltar. Alguns dos meus lugares e segredos preferidos de Roma neste post.

O sul: 1 semana

Nápoles e Pompeia (2 dias)

Nápoles será talvez a cidade mais controversa de Itália. Ora se ama ora se odeia. Eu cá adoro a atmosfera caótica da cidade com ruas apertadas, lençóis nos estendais e vespas conduzidas por crianças de 12 anos. Em Nápoles não há regras! Um dia em Nápoles neste post.

napoles italia 3

De Nápoles existem imensas day-trips que valem a pena tal como Capri ou subir ao Vesúvio. Mas se tivesse que eleger O melhor destino, para mim seria sem dúvida Pompeia. Pelo significado histórico, dimensão e estado de conservação.

Costa Amalfitana (2 dias)

Tal como as Cinque Terre, a Costa Amalfitana são um conjunto de pequenas vilas incrustadas nas arribas junto ao mar e são quase tão bonitas como a suas irmãs da Liguria. Dois dias serão o suficiente para andar a saltitar de vila em vila e até dar um mergulho no mar. Das duas vezes que visitei, estas foram as minhas paragens preferidas: Amalfi, Ravello e Positano.

Há 5 anos fui adoptada por uma família no sul de Itália e foi assim.

Puglia (4 dias)

Para a Puglia o tempo parou. Nas vilas e aldeias do tacão da bota, o tempo passa vagarosamente, aproveita-se o sol (coisa que raramente se viu na nossa viagem em Março), o mar e a boa comida. As casas tradicionais, caiadas a branco, conferem-lhe um aspecto que também nos é familiar, evocando paisagens alentejanas e algarvias. Bari, Alberobelo, Lecce e Matera foram alguns dos destaques.

Aqui está o itinerário completo da nossa roadtrip familiar na Puglia.

Se um ano em Itália passa rápido, um mês poderá parecer apenas alguns segundos. Cada um destes lugares e regiões tem algo muito especial para oferecer e deslumbrará certamente qualquer visitante. Prometo que, quando voltar, me vou dedicar às belas ilhas que desta vez me escaparam: Sardegna, Capri e Sicilia.

Ci vediamo presto Itália.

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: