Partidas

Revolut: O melhor cartão para viajar

Depois de ter cometido o erro crasso de ter viajado durante 6 meses com o meu cartão de débito normal e ter gasto cerca de 10% do meu orçamento em taxas de levantamento e taxas de conversão achei que devia procurar uma solução e garantir que isto nunca mais aconteceria.  E encontrei o Revolut.

O Revolut é um banco online com grandes vantagens para quem viaja. Para além de não ter aquelas chatices de ir a um balcão e preencher e assinar milhares de papéis, também tem as melhores taxas de conversão do mercado (com uma margem mínima de lucro) e dá-te a possibilidade de levantar dinheiro noutras moedas sem as famosas taxas.

Convertido ao Revolut? Aqui vai tudo o que tens que saber sobre o teu novo cartão de viagens:

– App & Verificação da Identidade:  O primeiro passo é o download da aplicação. Podes fazê-lo através do site deles https://www.revolut.com/ . Depois, para pedires o teu cartão terás que tirar uma fotografia ao teu documento de identidade e após eles terem feito a verificação podes encomendar o teu cartão.

O cartão é gratuito mas terás que pagar o envio que é cerca de 7€.

Quando o receberes é só fazer a activação através da app e está pronto a utilizar. Nas definições podes activar ou desactivar o contactless, compras online, etc… Na primeira transacção terás que utilizar o pin, a partir daí o contacless estará activo.

– Transferir dinheiro para o cartão: Podes fazer uma transferência bancária normal para o teu cartão Revolut que por sua vez também está associado a uma conta bancária. Podes encontrar o teu IBAN em Perfil > Detalhes da Conta > EUR. Caso haja uma referência, põe SEMPRE a referência.

“Cobrar em moeda local”: Quando levantares dinheiro noutro país, escolhe sempre a opção “cobrar em moeda local”. A conversão será feita pelo Revolut e não pelo banco da caixa onde estás a levantar. Exemplo: se estás na Tailândia escolhe ser cobrado em Bath, em Inglaterra em GBP e nos Estados Unidos em USD.

– Conhece os limites: Há um limite mensal para levantamentos grátis, são 200€. Mas depois desses 200€ pagarás apenas uma taxa de 2% por levantamento, o que é bastante mais simpático que as normais taxas de +5%. A conta Premium deixa-te levantar 400€ sem taxas, mas custa 7€ por mês e até agora nunca achei que valesse a pena. Talvez numa viagem longa faça sentido.

– Transferências internacionais: Esta também é a forma como agora transfiro dinheiro de uma moeda para outra. Há um limite de transferências sem taxas de 5000€ por mês.

E pronto, aqui está uma das maravilhas do mundo que eu gostava muito de ter descoberto há dois anos! Boas viagens sem taxas assassinas 😀

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: