Grécia

Lesvos: Para além do campo de refugiados

Viajei até Lesvos com o objectivo de fazer voluntariado com um projecto chamado Home for All. Apesar dos meus dias terem sido passados no restaurante e de não ter tido muito tempo para cirandar, o meu instinto de viajante incurável levou-me a visitar algumas pérolas da ilha nos momentos livres.

Este post é a minha forma de te incentivar a visitar Lesvos, por que aqui também se apanham banhos de sol e mar e se vêem coisas bonitas. Economicamente, a ilha e os seus habitantes foram bastante afectados pela crise de refugiados. Os turistas deixaram de aparecer e os bares, restaurantes e hotéis que outrora prosperavam no verão, agora lutam para sobreviver.

No caso de quereres dar uma ajudinha e divertires-te ao mesmo tempo, aqui vai a minha lista de lugares a visitar em Lesvos. Atenção que não tive a oportunidade de conhecer Mytilini que é a “capital”.

Mithymna 

Este foi sem dúvida o sítio mais bonito que vi na ilha. Deserto em pleno Dezembro, as suas ruas de calçada, a brisa marítima que brindava os poucos visitantes, na sua maioria voluntários holandeses, que apanhavam sol nas esplanadas e o castelo no topo do monte conferiam-lhe o estatuto de paraíso.

Petra

Apenas a 5 km de Mithymna, a maior atracção de Petra é a igreja que alguém decidiu construir no topo de uma rocha que deve ter aparecido ali no meio por milagre. Não se percebe muito bem como é que aquele aglomerado de pedra está no meio da vila, mas é uma vista no mínimo curiosa.

Foi também em Petra que encontrei não um, não dois, não três mas quatro (!!!) portugueses!!! Sim, no meio do nada! Achei super engraçado e ainda falámos durante alguns minutos. Estamos de facto por todo o lado.

Petra tem ar de ser muito animada no Verão com ruas que me lembram cidades costeiras da Turquia como Bodrum ou Marmaris.

Katos Tristos & a Igreja Bizantina

Não há lugar mais “aldeia grega tradicional” do que Katos Tritos. Foi aqui que morei durante uma semana, com os outros voluntários, e adorei! Íamos à padaria, ao minimercado, dizíamos “Yashas” e “Kalimera” (olá e bom dia) a todas as pessoas por quem passávamos e, para citar o Malato, fui muito feliz em Katos Tritos.

Mas a maior surpresa que esta aldeia tem para oferecer é a sua igreja histórica bizantina. Subindo pelo olival acima, vais encontrar uma igreja ortodoxa feita de pedra e uma das melhores vistas da ilha. Eu consegui chegar lá ao nascer do sol e foi encantador! Fica aqui o ponto no Google Maps.

Home for All & arredores

A minha última sugestão não podia deixar de ser uma visita ao restaurante Home for All, onde podes almoçar ou jantar, aprender mais sobre o projecto e fazer uma doação. Aconselhável marcar antes para eles saberem com quem contar.

Este porto piscatório tem um cenário épico e podes dar uns belos passeios à beira mar ali à volta.

Resumindo, se quiseres ter uma experiência diferente, que te vai dar uma perspectiva mais realista do que é uma típica ilha grega do que Mykonos e Santorini e ajudar a impulsionar a economia de Lesvos, dá lá um saltinho. Milhares de oliveiras, flamingos, sol e mar estão, pelo menos, garantidos.

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: