Inglaterra

Londres desfolhada

Há duas coisas que me fazem muito feliz: ver o mar e andar durante horas por cidades. Como a primeira é mais difícil de fazer acontecer quando se vive no meio de Inglaterra, tenho que me satisfazer com a segunda que também não está nada mal.

No Outono os parques e ruas de Londres arranjam-se a preceito para a nova estação e os amarelos, laranjas e vermelhos começam a aparecer tanto nas árvores como no chão. Como qualquer desculpa é boa para ir a Londres, desta vez foi descobrir os melhores lugares para fotografar o Outono na cidade que nos levou lá.

22 quilómetros, duas pizzas e um gelado/éclair depois, pairava no ar um sentimento de missão cumprida misturado com pernas doridas. O que mais nos surpreendeu foi que, entre os lugares mais conhecidos e que já constavam na nossa lista, conseguimos descobrir muitos outros que nunca tínhamos visto. Aqui vai o melhor do dia:

Hyde Park

O maior parque de Londres é o primeiro lugar em que se pensa para ver o melhor que o Outono tem para oferecer. Numa cidade de milhões de pessoas sempre em movimento, passear pelo Hyde Park é como um bálsamo para a alma.

No Hyde Park há sempre lugares mais recatados onde só passam esquilos gordos e onde te podes deleitar a olhar para as majestosas árvores que o parque tem para oferecer.

Notting Hill Gate

Ao lado da estação de metro Notting Hill Gate fica um conjunto de ruas com algumas das casas mais adoráveis de Londres. Cada uma de sua cor, estas casas tornam a Hillgate Place e as ruas que a rodeiam numa das zonas mais pitorescas de Londres.

Não muito longe fica um dos pubs mais famosos de Londres, The Churchill Arms, que é uma festa de flores na primavera e verão.

Os “Mews” de Kensington

A palavra “mews” define um conjunto de casas que foram inicialmente construídas para ser um estábulo e entretanto foram convertidas numa zona exclusivamente residencial. É nestas ruas que Londres se transforma numa pequena vila campestre e a prova disso são os Kynance Mews e a Christ Church Kensington que parecem saídos dos tradicionais Cotswolds.

A caminho de South Kensington onde planeámos almoçar ainda passámos pelos Stanhope Mews, mais um cantinho encantador.

Recentemente descobri que um dos melhores sítios para almoçar ou jantar em Londres é a pizzaria Franco Manca. São baratas, são boas, o serviço é rápido e não cobram taxa de serviço! What else?

Com uma pizza na barriga só me faltava mesmo um gelado e não é que mesmo ali ao lado, depois de passar pelos Reece Mews, estava uma das melhores gelatarias de Londres – a Oddono’s – que para além de ser italiana também tem preços quase italianos. Já a Alexandra, que conheci quando fiz Erasmus em Paris, ainda não se desapegou da pastelaria francesa e acabou na Maitre Choux.

Chelsea Embankment

Depois de já termos passado horas intermináveis a andar, finalmente chegámos ao Tamisa. O Chelsea Embankment é um dos meus lugares preferidos em Londres porque é onde começa um caminho, sempre junto ao rio, que vai dar ao Big Ben e mais além.

Westminster e St James’s Park

O dia acabou com a luz perfeita a iluminar o Palácio de Westminster e o Parque St James. Enquanto nos encaminhávamos para a estação de Euston para voltar a casa, mal podíamos acreditar na sorte que tínhamos tido com aquele dia de sol que tinha começado com uma carga de água assustadora. Há dias assim!

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Leave a Reply

%d bloggers like this: