Inglaterra

A cinzenta e tradicional Inglaterra dos filmes

Já se sabe que o clima está longe de ser a melhor qualidade de Inglaterra. Nunca está extremamente frio nem quente, não há tempestades e as chuvas torrenciais são raras. Há uma expressão muito inglesa que descreve lindamente o tempo nesta ilha geograficamente mal posicionada: lukewarm. Em português, morno, lukewarm é um estado de indiferença, de desinteresse no qual Inglaterra se mergulha durante mais ou menos nove meses por ano.

Castle Combe

Não querendo atender ao pedido de “bom tempo” por parte da minha mãe, Inglaterra mostrou-se tal e qual como é durante o nosso fim-de-semana de passeio pelos Cotswolds e Bath.

Vendo o copo meio cheio, Inglaterra tem um certo encanto sob um céu cinzento, afinal, nunca nenhum arquitecto desenhou uma casa aqui a pensar o quão bem ficaria num dia de sol. Destemidos e munidos com um grande chapéu-de-chuva foi assim que passámos um fim-de-semana muito inglês:

Castle Combe

Demorei um ano até conseguir enfiar Castle Combe num plano de passeio credível – ficava sempre fora de mão! Castle Combe é uma aldeia de conto de fadas. Ali não há nada que destoe até porque a construção mais recente é do século XV…

Está situada num vale, não tem carros, tem uma igreja, um palacete fino, um centro mercantil, pubs e casas de chá e, a cereja no topo do bolo: uma ponte mega pitoresca. Se isto tudo junto não dá a aldeia mais bonita do Reino Unido não sei o que dá! Depois de um ano de espera, posso dizer que correspondeu às expectativas.

Bradford-on-Avon

Ao contrário da aldeia anterior, nunca tinha ouvido falar de Bradford on Avon até ler um artigo num jornal inglês que afirmava que esta era “a nova Bath”. Sendo Bath uma das cidades mais turísticas de Inglaterra, achei que parecia uma boa premissa. Chegámos a Bradford às cinco da tarde – quando já não se avistava vivalma – e como tal a vila era nossa.

A zona mais bonita de Bradford é, sem dúvida, a da ponte (do século XIII) sobre o rio Avon que, em vez de parecer um simpático canal como aparece nas fotografias, parecia um rio com rápidos mortais tanta era a chuva dos últimos dias. Já o centro é relativamente pequeno, mas com uma arquitectura muito característica e interessante.

Estas vilinhas costumam ter vias e trilhos para caminhar e andar de bicicleta sempre à beira rio e numa visita com mais e melhor tempo parece-me ser o plano ideal. Pelo que li é recomendada a passagem pelo Tithe Barn e The Lock Inn Café.

Lacock

Acho seguro declarar que Lacock foi a grande surpresa deste fim-de-semana, sobretudo porque lá chegámos completamente vazios de quaisquer expectativas. Lacock não era mais do que um ponto de interrogação promissor.

Num domingo chuvoso às 9 da manhã, havia três pessoas em Lacock e essas pessoas éramos nós! E não é que encontrámos um amor de aldeia? Em Lacock tudo parece ter sido posto no sítio com um cuidado e carinho especiais que ignoraram a passagem dos últimos 800 anos.

Por estar tão bem preservada, Lacock já serviu de cenário a muitos filmes e séries ingleses incluído *drumroll* o Harry Potter! Quase cai para o lado quando soube disto, mas infelizmente as nossas horas não coincidiram com as da Abadia que já foi Howgwarts, mas fica para a próxima. Ao menos pisei o mesmo chão que o cast…

Lacock também é o lugar perfeito para uma refeição reconfortante num pub, de preferência com lareira. Uma chef recomendou-nos o The George Inn e como tem mesmo muito bom aspecto, passa a ser a minha recomendação também.

Bath

Bath é como uma vila dos Cotswolds em ponto grande. Cheia de movimento, cultura e turistas chineses, esta é a única cidade do Reino Unido considerada património da UNESCO. Apesar de ser conhecida pelos banhos romanos que a baptizaram, os “modestos” 20 pounds de entrada afastaram-nos para outras atracções como a Ponte Pulteney e o Royal Crescent.

Os preços injustificados e proibitivos praticados em Bath acabam por prejudicar a experiência na cidade por que não resta muito mais para fazer. Se tiveres vontade de gastar dinheiro, para além dos banhos há o Prior Park Landscape Garden que parece muito giro.

Bath também fica muito perto de Stonehenge que visitei já há alguns anos com a Scarpertours e adorei.

Entretanto estava na altura de rumarmos para norte, de volta a casa. Os Cotswolds são definitivamente uma das minhas regiões preferidas de Inglaterra e o lugar perfeito para viver a experiência das casas de chá e dos pubs tradicionais.

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: