Holanda

Das tulipas do Keukenhof à erva de Amesterdão

Os campos de tulipas holandeses já estavam nos meus planos de viagem imaginários há muito tempo, mas a janela de oportunidade para os ver é tão curta, entre meio de Abril a meio de Maio, que ainda não tinha tido forma de encaixar esta pequena escapadela em lado nenhum.

E foi quando encontrei voos baratos a partir de Amesterdão para o Líbano, na altura da Páscoa, que soube que tinha que ser desta!

Só tínhamos um dia completo, mas era o suficiente para visitar o jardim mais famoso da Holanda, o Keukenhof, e dar um olhinho aos campos que o rodeiam.

Keukenhof: Como é bela a Primavera

As flores fazem-me feliz. Assim que entrei no Keukenhof parecia uma criança numa loja de doces. “Olha estas, tão lindas!” “E a cor daquelas…”, “Oh estas são as minhas preferidas!” era o que ia dizendo enquanto tentava fotografar todos os tipos e mais alguns de flores.

Apesar de ser um dos lugares mais concorridos da Holanda, reina uma certa calma e harmonia no parque, principalmente durante as primeiras horas da manhã.

Não tenho muito mais a dizer sobre este jardim, para além de que é um lugar mágico, com uma imensidão de cores, 800 variedades de flores e muitos chineses!

Como se vê em duas ou três horas, podes completar o dia com uma voltinha de bicicleta pelos campos de Lisse (muito perto do Keukenhof) que dão fotografias fantásticas. Quando nós fomos estava um frio de rachar e até nevou por isso, infelizmente, tivemos que abortar esta parte do plano.

Por outro lado fomos até Haarlem, um dos meus lugares preferidos na Holanda que já tinha visitado uma vez há muitos anos. Como o frio não abrandou refugiámo-nos num café a comer doces e a beber bebidas quentes! Adoro a descontracção de Haarlem; muito menos turística que Amesterdão, mas com uma arquitectura igualmente interessante e certamente merecedora de uma visita.

Pontos-chave: mercado de rua aos sábados, Grote Kerk (catedral gótica) e o moinho Adriaan. Para uma das melhores tartes de maçã de sempre vai ao Thrill Grill na magnífica praça central.

Ainda dá para uma cervejinha em Amesterdão

Já que ainda tínhamos umas horas de luz, aproveitámos para dar um pequeno passeio pelo centro de Amesterdão. Para ser honesta, Amesterdão está longe de ser uma das minhas cidades preferidas.

É muito bonitinha com os seus canais, pontes catitas e casas de tijolo vermelho escuro e acho que merece definitivamente uma visita pelo menos uma vez na vida (tem alguns dos melhores museus do mundo).

Mas é uma cidade estupidamente cara, acho mais do que Paris e com uma qualidade muito pior e está a rebentar pelas costuras, particularmente com ingleses em festas de despedida de solteiro/a, ou seja, o pior tipo de ingleses. Para além disso, a legalização das drogas e prostituição (com a qual eu concordo a 100%) mete Amesterdão na lista de quase todos os adolescentes do mundo, um target algo duvidoso.

É uma pena e a realidade é que o governo já está a tomar medidas para desencorajar o turismo. Mas a Holanda é muito mais do que Amesterdão e é muito interessante ver o contraste entre o resto do país, que é bastante tradicional, e a capital.

Dicas rápidas

Bilhete Keukenhof: Compra o bilhete no site (17€) e se não tiveres carro, compra com transportes incluído (25€) fica mais barato do que o bilhete de autocarro separado.

Visita Keukenhof: Se possível vai a um dia de semana porque os holandeses também vêm de todos os cantos para ver este jardim e as multidões são imensas! Se não conseguires, vai de manhã assim que abrir.

Alojamento: Nós ficámos num Airbnb em Hoofddorp, que é uma localidade bastante conveniente do ponto de vista dos transportes – é muito perto do aeroporto e a 20 minutos de autocarro do jardim – e tem uns preços mais razoáveis que Amesterdão.

Comida: É mesmo ir ao supermercado e fazer uma alimentação baseada em fruta, iogurte e sandes!

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: