veneza carnaval italia
Itália

Carnaval de Veneza: o meu sonho de menina

Espero que não me acusem de plágio. Desde que me lembro que queria ir ao Carnaval de Veneza. Aqueles fatos e máscaras milionários, saídos dos anos em que ainda havia reis e rainhas, fascinavam-me. E foi então que a oportunidade se deu, já que estou a viver em Milão, e fui até Veneza para ver o seu lendário Carnaval.

Passear por Veneza é sempre um prazer, é um lugar simplesmente único no mundo. E por entre as ruas mais pequenas e secretas encontra-se uma paz e sossego que nunca associamos a esta cidade.


Durante o Carnaval, a maioria dos eventos passam-se na Piazza San Marco, e foi para lá que nos dirigimos. Nós e toda a gente, claro. As ruas e pontes de Veneza não foram pensadas para os milhões de pessoas que a visitam e é normal que haja filas.

Eu disse que havia muita gente…

À medida que nos íamos aproximando da praça, para além do número de pessoas a aumentar, também aumentava o número de máscaras. Estávamos oficialmente no Carnaval de Veneza!

O nosso dia foi passado a perseguir pessoas com máscaras e a tirar-lhes fotos. A maioria dos “participantes” está lá mesmo para isso (desconfio que a cidade de Veneza lhes paga a paciência) e pousam e tudo!

Às vezes é difícil de saber para onde nos devemos virar, há tanta coisa a acontecer e tanta coisa para ver. Mas o que te aconselho é: não te preocupares muito com o caminho, muito menos com entrar em museus, igrejas ou monumentos famosos, o Carnaval não é certamente altura para isso. Aproveita o ambiente, à noite há festas e vive este festival à tua maneira.

O único sítio que estava na minha bucket list era a Libreria Acqua Alta, uma das livrarias mais icónicas do mundo, com uma gondola lá dentro e tudo! Infelizmente também estava bastante cheia, mas é certamente um lugar a visitar numa viagem a Veneza.


A caminho da estação de comboio ainda passámos pelo “Ghetto Nuovo”, a parte judia da cidade e o gueto judaico mais antigo do mundo (instituído em 1516).

E o meu sonho foi concretizado, adorei esta experiência e apesar da confusão é algo que recomendaria a qualquer um, nem que seja só por uma vez!

Dicas rápidas

Transporte: Marca com antecedência! De Milão para Veneza apanhámos um Flixbus que custou 30€ ida e volta. São três horas de viagem.

Bagagem: A estação de St. Lucia tem um depósito de bagagens. O preço é à peça e custa 6€ para as primeiras 5 horas e depois 1€ a mais por cada hora. O sistema é muito simples e rápido e uma boa opção para não ter que andar com tralha atrás.

Alojamento: Marca com antecedência! Nós ficámos num Airbnb em Mestre, muito mais barato do que ficar em Veneza. De Mestre para Veneza é só apanhar um comboio que demora 10 minutos e custa 1.20€. Mestre tem um centro histórico muito pequenino, mas simpático.

Refeições: Para Veneza íamos equipadíssimas com sandes que trazíamos de casa e só comemos um gelado que até foi menos de 5€!! Em Mestre vingámo-nos e fomos à Hosteria Vite Rossa onde jantámos maravilhosamente. Um dos pratos mais famosos da região de Veneza é o Bacalhau Frito.


Tão booom!

Podes encontrar o plano e as datas do carnaval neste site:http://www.carnevale.venezia.it/en/

O Poupas está maluco!

Alfacinha germinada e cultivada num cantinho à beira mar plantado, a Inês tem uma certa inquietação que não a deixa ficar muito tempo tempo no mesmo sítio. Fez Erasmus em Paris, trabalhou em Istambul e em Portugal, fez um mestrado em Creative Advertising em Milão e agora trabalha no Reino Unido. Viajar, criatividade, cozinhar, dançar e ler são algumas das suas paixões. A combinação de algumas delas deu origem a este blog, o Mudanças Constantes. Bem-vindos!

6 Comments

Leave a Reply

%d bloggers like this: